29 de março de 2013

Um doce momento na cafeteria (2)



Ele caminha com pressa pela rua central da cidade de Porto Alegre. Quantas vezes havia passado naquelas mesmas vitrines, bares, pela livraria. O tempo corre contra ele. Sobe ao sétimo andar do prédio, esperando encontrar mais uma vez uma palavra de carinho. Enxerga a paisagem, sempre encantadora, poética, como todo sol que se põe. Impossível não se inspirar. Não dizer novas palavras. O amor está a sua espera. Ele acontece sempre por acaso. Nunca o controlaremos.
Ela abandona o iPhone. Levanta o olhar em direção à porta da cafeteria. Sempre escreve coisas enquanto o espera. Digita rápido no pequeno teclado. As palavras voam entre seus dedos. O tempo da demora corresponde ao número de palavras. Fica mais fácil escrever do que falar.
Ele a olha como da primeira vez. Como se tudo que passou fosse esquecimento. E nota um sorriso de boas vindas. Por dentro, sente um alívio. Carrega nas mãos uma caixa de bombons em formato de coração. Como se a caixa guardasse uma surpresa. Ou algo já tão velho, conhecido e doce como o amor.
Nada que não se possa brindar com duas xícaras de café.

 
 

Segue o blog...Feliz Páscoa!!!!!

2 comentários:

  1. Lindo! sabes que sou fã dos mini contos?...aliás também estou viciada nas trilhas.
    Bjos e ótimo final de semana.
    Sílvia

    ResponderExcluir